Ceres Art
grafite x pichação

Grafite x Pichação: quais são as diferenças?

A dúvida sobre grafite x pichação ainda é muito comum entre as pessoas. É compreensível que tantas pessoas tenham essa dúvida, já que tanto o grafite quanto a pichação, são feitos com os mesmos materiais, e em geral, nos mesmo locais: os muros.

Mas afinal, qual é a diferença entre os dois?


Você  vai ver nesse Post:



Grafite x Pichação

Como já sabemos, existe sim diferenças entre grafite x pichação. Mas também existem semelhanças. Por exemplo, ambos são utilizados como forma de expressão, e ambos utilizam os mesmos materiais, que geralmente são: spray, stencil, látex, rolinhos e muito mais.

curso de desenho

Para que fique bem claro, vou falar um pouco sobre cada um deles:

Pichação

A pichação teve sua origem por volta dos anos 60. Nesse período, as revoluções estudantis estavam tomando conta da cidade de Paris, na França. Rabiscar as paredes e muros da cidade com escritas foi uma maneira que os jovens encontraram de se manifestar contra o Governo da época.

Conforme o tempo foi passando, a pichação foi surgindo em outros lugares do mundo, principalmente entre os jovens, e quase sempre com a mesma motivação: deixar sua marca ou mensagem pela cidade.

Hoje, é muito comum entre pichadores, uma certa “competição”. No caso, vence quem deixa sua marca, conhecida como “tag” em mais pontos da cidade. Essa é uma das diferenças de grafite x pichação. Além disso, outro fator que elege o “vencedor” é a altura em que a tag foi pichada. Quando mais alto, melhor.

O problema começa quando os pichos são feitos em locais sem autorização, seja em propriedades públicas ou privadas. É aí que pichadores se tornam vândalos.

grafite x pichação

Grafite

Nessa polêmica de grafite x pichação, por sua vez, o grafite tem suas peculiaridades. Diferente do picho, o grafite é considerado uma verdadeira obra de arte, da arte urbana especificamente. Tanto que a maioria das pessoas concordam que é muito agradável aos olhos, virando até motivo de turismo por muitas vezes.

Como qualquer arte, o grafite é também, uma forma de expressão. Isso porque é através dele que muitos artistas expõem pensamentos, sentimentos e até críticas sociais nos muros da cidade.

É fácil identificar o que é um grafite x pichação porque no grafite vemos que há todo um planejamento de ideias, da escolha do desenho, escolha das cores, e de toda a composição da arte! Inclusive, existem até cursos e workshops de grafite para quem quer se tornar expert!

Outro ponto que difere grafite e pichação, é o fato de que na maioria das vezes a pichação não tem autorização. Em contrapartida, o grafite geralmente tem autorização e até segue um certo tipo de código de ética entre os grafiteiros.

grafite x pichação
Autoria do grafite: Image

O que a lei diz

Existem leis que ajudam a entender melhor algumas das diferenças grafite x pichação.

A primeira delas foi a Lei Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Esta lei criminalizava os atos tanto de pichar quanto de grafitar, e dispunha sobre as penas cabíveis para quem praticasse qualquer um dos atos.

Porém, em 2011 surgiu uma nova lei com o intuito de alterar o texto da lei anterior. A mudança descriminalizou o grafite, mantendo como crime apenas a pichação. Além disso, uma das medidas dessa lei foi proibir a comercialização de tintas em embalagens do tipo aerossol a menores de 18 anos.

O artigo alterado foi o artigo 65 da Lei Nº 9.605/98. Antes, o texto era o seguinte:

Art. 65.

Pichar, grafitar ou por outro meio conspurcar edificação ou monumento urbano:
Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.
Parágrafo único. Se o ato for realizado em monumento ou coisa tombada em virtude do seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a pena é de seis meses a um ano de detenção, e multa.

A Lei Nº 12.408, de 25 de maio de 2011 alterou para:

Art. 65.

Pichar ou por outro meio conspurcar edificação ou monumento urbano:       (Redação dada pela Lei nº 12.408, de 2011)
Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.         (Redação dada pela Lei nº 12.408, de 2011)
§ 1o  Se o ato for realizado em monumento ou coisa tombada em virtude do seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a pena é de 6 (seis) meses a 1 (um) ano de detenção e multa.        (Renumerado do parágrafo único pela Lei nº 12.408, de 2011)
§ 2o  Não constitui crime a prática de grafite realizada com o objetivo de valorizar o patrimônio público ou privado mediante manifestação artística, desde que consentida pelo proprietário e, quando couber, pelo locatário ou arrendatário do bem privado e, no caso de bem público, com a autorização do órgão competente e a observância das posturas municipais e das normas editadas pelos órgãos governamentais responsáveis pela preservação e conservação do patrimônio histórico e artístico nacional.  

Em resumo, apesar de ter as mesmas origens, hoje a pichação se tornou algo menos tolerado. Enquanto isso, o grafite é visto com bons olhos, e além de aceito é uma arte muito admirada!

Adicionar um comentário

Deixe uma resposta